Subscribe:

Pages

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Faz de Conta

Que maldade a sua,
me conquistar assim e depois ir embora
sem nem me dá o gosto dessa brincadeira.


E que tolice a minha,
me deixar me apaixonar assim,
mesmo sabendo que era tudo faz-de-conta.


Alanna Correia

5 comentários:

SolBarreto disse...

Lindo Alanna!
Estava sentindo falta dos seus textos e poemas...

Moisés Wesley disse...

Alguns contos começam como contos de faz-de-conta, mas nem todos terminam assim. Quem vive a história é quem dá o tom, é quem sabe!

Acho que viajei agora, mas é isso que veio na minha mente depois q li esse poema! ^^'

Emilio disse...

Nunca fui muito de poemas, mas gosto dos curtos e que falam muito como esse.

Parabéns!

Hana disse...

Olá meu bom dia com alegria, eu, quero crer no amor numa boa, e isso vale para qualquer pessoa, assim eu vejo o amor, e ele chega, a sim chega, as vezes tão perto de nós e não o percebemos.Adorei seu blog, seu post fantástico, aqui te sigo, aqui te leio, aqui te persigo amigo meu.
com carinho
Hana

Eduardo disse...

Realmente é muita maldade alguém despertar um sentimento tão lindo - o amor - em uma pessoa e depois ir embora... Isso acontece muito mais do que a gente pensa!

E infelizmente, quando estamos apaixonados, ficamos com um ponto fraco. A Cegueira!
E é por causa dela, que nos decepcionamos tanto depois... =)

Lindo texto!
Está de parabéns novamente!

Postar um comentário