Subscribe:

Pages

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Silêncio Engasgado






Tem um silêncio que há anos está entalado em minha garganta. Ele se escondeu em minhas pregas vocais e não quer sair. Tem um silêncio amarguradamente preso em meu peito que eu não deixo sair. É um grito surdo que as vezes chega até meus olhos, mas não sai. Eu já tentei gritá-lo várias vezes, mas ele não sai. Sabe quando chiclete gruda no cabelo? Eu até já tentei cortá-lo fora, mas não consegui.
Eu não sei mais o que fazer para arrancar esse silêncio. Já tentei métodos estranhos, já perdi horas pensando em  uma nova tática, arquitetei planos mirabolantes para tirá-lo daqui, mas ele não sai.
Uma vez eu pensei que ele ia sair. Chegou até minha boca e parou em meus lábios, voltou daí. Estranho com quando encaro aqueles olhos eu não consigo dizer nada. Parece que eu sou tão facilmente manipulada que isso me deixa louca de raiva!
Se eu fosse um pouco mais forte para gritar de uma vez tudo o que preciso. Mas não... Sou apenas mais uma muda na multidão. Alguém que deixa uma tal pessoa dizer o que quiser sem falar nada, sem se defender, sem gritar, sem nem chorar mais! O silêncio está tomando conta de mim. Quase como se fosse um câncer, eu sinto ele se enraizando pelo meu corpo, se espalhando e sugando minha vida.
Eu não consigo mais sorrir como antes, eu não consigo mais sonhar, não consigo mais respirar em paz. Meu reflexo no espelho aponta o dedo para mim e me chama de covarde. Me disseram que estou nessa porque quero, a única coisa que eu não sei é como eu faço para sair dessa bagunça! Como eu faço para parar com esse "querer"?
Eu já tentei fugir fingindo que nada está acontecendo, mas... eu acabei ainda mais enrolada nisso tudo.
O meu silêncio não tem mais nada de Nobre. E agora tudo o que eu tento pensar é como e quando eu cuspirei esse silêncio na cara de quem precisa ouvir! Eu queria dizer tudo sem ser rude, sem ser mal interpretada, mas isso é impossível! Por fim eu desejei apenas dizer, sem me preocupar com o resultado, mas também não consigo.
Eu preciso gritar. Eu preciso ser forte, mas eu perdi minhas forças... nesse silêncio. Nesse Maldito Silêncio.

Alanna Correia

-------------------------------------

Ah, Moisés... Eu sei que o texto não é romântico e nem sei se ele ficou bem escrito, mas é que eu realmente precisava gritar qualquer coisa. Quem sabe assim eu não arranje coragem para um dia gritar de verdade o que precisa ser gritado, né? ^.^
PS: Eu NÃO consigo abrir o Nobre do meu pc! Não consigo comentar no post do Moisés e as entidades do mal vão dominar meu pc - depois vão dominar o google e por fim dominarão o mundo.

5 comentários:

Moisés Wesley disse...

Não se preocupe com isso, Alanna! O importante é a gente se expressar!
Eu gostei muito do seu texto, tenho me sentido assim ultimamente!
Na minha opinião ficou bem escrito mesmo!^_*

Milena Matos * disse...

Lindonaaa...
Gostei muito do texto!
E quando vc conseguir gritar, grite com toda a força. Muitas vezes é complicado mesmo, mas é assim né (-.-'). Só de estar escrevendo já uma forma de começar a gritar, mesmo que baixinho!
E quando que seus textos são mals escritos? Ficou ótimo!

Beijos!!!!

Renata Chiletto disse...

Nham

Eu às vezes penso que o forte é aquele que não fala, mas depois acabo me arrependendo de não falar e penso que o forte é aquele que tem a coragem para falar na cara aquilo que sente naquele momento. O problema (meu, e creio que o seu) é o medo de machucar as pessoas, machucar aqueles que amamos e machucar nós mesmos. No fim a gente acaba machucando todo mundo pq não sabe como falar. Isso é complicado...

Um dia você vai conseguir falar e gritar bem alto para todos ouvirem o que você tem a dizer. E as pessoas irão ouvir e te respeitar por isso. Mas, enquanto isso, você não pode ficar se culpando, nem pensando no que poderia ter sido dito. Eu acredito que as coisas importantes que merecem ser ditas são ditas sem ser pensadas, são ditam no reflexo, porque é assim que somos mais sinceros e é assim que as pessoas nos ouvem.

P.S.: VOCÊ quem vai dominar o mundo, não as entidades do mal ^^

Douglas disse...

Texto bom, porém, não há nada de muito interessante para se aprovetar ou para comentar sobre. Acho que a pessoa foi infeliz em certos pontos do texto e nos comentários que fez sobre o mesmo. Lembrando que é apenas minha opinião sobre o texte acima. Parabéns pelo Blog muuito bom.
:D~

Alanna disse...

"Acho que a pessoa foi infeliz em certos pontos do texto e nos comentários que fez sobre o mesmo" - Douglas, obrigada pelo seu comentário, é sempre bom saber o que os outros pensam sobre cada texto, sendo uma boa opinião ou não ^^
Críticas construtivas são sempre bem vindas.
Mas agora, o que seria exatamente "infeliz", nesse contexto? Seriam exemplos ruins (como o do chiclete, que eu reconheço ter sido horrível), falha ortográficas, coisas ambíguas, piadas?
Agradeço se você pudesse especificar melhor.

Postar um comentário