Subscribe:

Pages

sábado, 3 de outubro de 2009

SAUDADE


Esse poema é dedicado àquela que compartilha comigo o nobre silêncio.



Não faz muito tempo
Desde a última vez que nos encontramos,
Mas já sinto os efeitos,
Os efeitos que a abstinência
De você provocam em mim
E por isso a saudade me fala de você.

A sua imagem é constante
Em minha mente
Não importa o que eu esteja fazendo
De forma repentina
Você aparece e me distrai.

Fico imaginando
Se sou freqüente
Em seus pensamentos
Tanto quanto você é nos meus.

Não sei ao certo
O que significa, ou pode significar,
Mas fico triste
Por não estar perto de você
Por não poder ouvi-la freqüentemente
Compartilhar suas dores
E seus desejos.

Não sei se é apenas amizade,
Ou se é o típico sentimento
Que vem se instalando de mansinho,
De todos os sentimentos que sinto
A certeza que tenho é que o mais pujante
É a saudade.

Sinto saudade das suas expressões,
Aquelas expressões estilo “anime”,
Sinto saudade de observar
A maneira como você
Enfrenta as situações,
Sinto saudade de seus comentários
Com um tom tanto quanto irônico
Sempre me fazendo rir.

Por enquanto
A única coisa que posso afirmar
É que conviver com você
Fazia meus dias serem melhores
E o fardo da rotina mais leve.

Você é tão parecida comigo
Que não sei dizer
Se você me completa
Ou se é a mesma parte
Que tenho em mim.

Contudo, o que interessa
É que tenho a impressão
De que talvez você
Seja a única que possa me entender.

Toda essa possibilidade de igualdade
Talvez seja o que mais me faz bem
Quando estou próximo a ti.


(Moisés Wesley)

3 comentários:

Renata Chiletto disse...

Adorei o poema. Acho que fala muito,mesmo sendo tão pouco...

^^

Moisés Wesley disse...

Fico feliz que tenha gostado, Renata!
Gostei do comentário. O paradoxo deu a ele um toque enigmático! hehehe

fabianne disse...

Gostei do poema pelo fato da saudade e do silêncio gritarem juntos de modo tão suave e ao mesmo tempo tão encantador!Parabéns pelo blog está ficando lindo!

Postar um comentário